| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 791707 { professores: 0 | editores de blog: 4 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 26 }

Comentários
5 Comentários
Por Celso Santos - Usuário | 28/01/2010

A ideia é realmente interessante, mas o filme é muito parado. Quase dormi...
Por Neide Rejane de M.Cantarelli - Usuário | 28/01/2010

Este é um filme de pura reflexão: qual a reação de uma mãe ao saber que o filho se suicidou. Como compreender e aceitar uma atitude de desistência da vida, quando o normal é esperar que a natureza se encarregue de fazê-lo. Sabemos que a realidade é muito dura, e muitos não vivem com prazer, apenas suportam a vida. O filme,também, discute a questão do suicídio; continuar para quê? Quando o mundo está pesando sobre suas costas. Acho que cada um deve tomar a decisão que quiser. Ou suportamos o insuportável, ou desistimos no meio do caminho. Para isto, existe o livre arbítrio.
Por vladimir silva - Usuário | 28/01/2010

Achei que a narrativa podia ganhar mais celeridade. Não consegui ver até o final.
Por sonia teixeira - Exibidor | 28/01/2010

A idéia foi boa...mas é muito parado...faltou algo...não sei o que???
Por Maria Apparecida Gomes Piola - Usuário | 28/01/2010

Acompanhei, por algum tempo , a vida de uma senhora cujo filho se suicidou. Há uma similaridade tão impressinante com o real e este fime que, de início, pensei se tratar da mesma mãe. Distanciamento. Dissociação. Embotamnto mental Nem as célebres perguntas :O que eu fiz ? Qual foi minha culpa ?Nada .Só solidão .Este filme causou,em mim, um enorme impacto e as intrigantes questões sobre a vida que se desfaz de maneira líquida. Marcelo:espero que você continue a mostrar a angústia da vida ,mas não se deixe levar por ela.Muito obrigada por sua habilidade de permitir discutir vida-morte-perda. Parabéns. Cida Piola