| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 234614 { professores: 0 | editores de blog: 0 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 18 }

Comentários
Depois das Nove

Ficção | De Allan Ribeiro | 2008 | 15 min | RJ

8 Comentários
Por Eduardo Cantarin - Usuário | 28/01/2010

Allan, o curta, em minha opinião, não é uma produção artística. Uma das dúvidas que tenho a respeito dele é a seguinte: Para que você abriu um plano detalhe na mão do ator manejando o mouse? Aquilo não quis dizer absolutamente NADA!!! Cada plano tem de ter um conteúdo semântico. Cada plano tem de ter um valor na organicidade fílmica.
Por João Fernando Porto - Usuário | 28/01/2010

O roteiro é ótimo,e o assunto é bem atual na vida de muitos jovens. Eu estava em Paraty quando fui assistir uma sessão de um dos longas q estavam sendo exibido na Mostra Paraty de Cinema, quando de repente entrou o diretor: Allan Ribeiro maravilhoso para apresentar seu mais novo curta. Foi Lindo, o filme é excelente! Parabéns a toda equipe.
Por Romulo Gustavo dos Santos - Professor | 28/01/2010

Belo, sensível e sutil em cada detalhe. Moro com meus pais de criação, q na verdade são meus avós...Me vi como protagonista do filme...o rádio de pilha, o forro de mesa, a tv Sharp antiga e sem controle remoto, o jeitinho arrumadinho de casa de vó...Mas apesar dos momentos q nos estressam a querer outra vida, não aguentamos muito tempo longe dela...amo meus pais, mesmo sendo "velhos" e não me intendendo as vezes...A gente acostuma e cria as mesmas manias deles... O melhor é o final, qndo o personagem vê q não está sozinho, q existe vários jovens vivendo na mesma situação.
Por Nivaldo Feliciano Silva - Usuário | 28/01/2010

Uma bela obra de arte. Retrata a situção relacional que está presente em muuitos lares. Com técnica, vivacidade, sensibilidade e belaza, o diretor e os atores envolvidos conseguem mostrar a importancia da humanização das relações da humanização das relações pessoais. De fato, os recursos modernos são ferramentas necessárias, mas não dispensam jamais o calor humano. Parabéns
Por bruno campos - Usuário | 28/01/2010

lindo e tocante. emociona porque eh simples. parabens ao diretor e em especial ao ator Rafael Primo que acompanho ha algum tempo e esta cada vez maravilhoso. Linda musica. Parabens.
Por Marcio Eduardo Cury - Usuário | 28/01/2010

retrata bem o dia a dia do rapaz,um tanto tedioso e rotineiro. Boas fotos e tomadas da casa e trilha sonora eficaz.
Por Alê Periard - Usuário | 28/01/2010

O Vínculo exacerbado com o virtual desvincula do real. Apenas quando o "ponto" de ligação do real com o virtual se esvai, é que há a transformação promovida pela necessidade de manter-se. Em consequência surge uma reformulação do olhar perante a vida. Interessante.
Por Maria Christina Thedim Miranda - Usuário | 28/01/2010

Adorei! Mto bonito, sensível aos valores que importam numa relação de amizade, seja entre familiares ou mesmo entre amigos. Particulatmente, mto me tocou, pois morei durante alguns anos, justo na passagem da adolescência para a idade da razão, com minha querida, amada e ja asecncionada avozinha. Éramos como mãe e filha e tínhamos (temos) uma ligação espiritual mt forte. A simbologia usada para mostrar o amor que existia entre eles foi perfeita. A maneira como o neto passa a encarar a rotina da avó com imenso cuidado é mto tocante. E quando o despertador nao toca e mesmo assim ele liga o som cassete (totalmente contraposto ao pc) é demaaaais! Parabéns a toda a equipe, inclusive aos excelentes atores. Tb sou atriz e escritora. Um grande abraço, Christina Thedim