| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 41215 { professores: 0 | editores de blog: 0 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 4 }

Comentários
O Velho, o Mar e o Lago

Ficção | De Camilo Cavalcante | 2000 | 20 min | PE

12 Comentários
Por Alexandre Nuñez Tardin - Usuário | 15/07/2016

Prêmios mais do que merecidos para este curta, onde a poesia permeia todo esse rolo de filme. Mas lamentei muito esse velho engraçado e solitário, ter ficado sozinho naquela noite fatídica, terminando abraçado com a manguaça. Bravo!!!
Por Josiane Florencio - Usuário | 25/06/2012

O Filme tem um excelente roteiro, onde nós que não fomos à guerra e não sabemos o que esses homens patriotas passaram e como ficaram suas mentes, uma forma de pensarmos e questionarmos "PARA QUE GERRA?". O ator COSME SOARES "PREZADO" como excelente ator que era, desempenhou com excelência esse monólogo. Saudades Prezado!
Por Silvio Oliveira Torres - Exibidor | 05/02/2011

Camilo Cavalcante guarda na alma um poeta denso, cuja poesia resvala pelas imagens e sons quadro a quadro. Roteiro tocante, direção poética. Cosme Soares foi um ator que merecia mais atenção e mais projeção porque talento não lhe faltava. O curta é profundamente tocante e nos põe a refletir de forma madura sobre questões tão caras á existência humana. Política, existencialismo,filosofia, poesia: tudo tão imenso numa obra tão "CURTA"!!! Parabéns aos nossos artistas.
Por Ezequiel Sá - Usuário | 28/01/2010

Infelizmente o ator Cosme Soares faleceu em setembro de 2008. Este filme comprova a grandiosidade deste ator e seu talento ficara na memoria dos que puderam ve-lo atuar. Marcou-me tambem as peças "O auto das sete luas de barro" e principalmente "Olha pro ceu meu amor"... Voa pingo, voa!!!
Por Lino Zero - Usuário | 28/01/2010

Muuuuito bom!!! Estou pensando...não tenho certeza: o melhor curta que já assisti!
Por Arlindo Cirino - Usuário | 28/01/2010

Da hora! já tinha assistido umas duas vezes no programa "Zoom", da TV Cultura. É poético, louco e delirante.
Por Hermes R. Carreira Filho - Usuário | 28/01/2010

O velho. O desespero da essência humana em face dos seus feitos. A luta do ser humano na loucura da pervertida da humanidade. A solidão como companheira. A morte como certeira. O tempo, uma eterna angústia... E as ilusões ainda persistem... Assim como os sonhos do "encanto de viver".
Por robson - Usuário | 28/01/2010

A tristeza do descontentamento de não se sentir completo; A confortante descoberta da beleza do entendimento de uma pós crise existencial, fabuloso!
Por Thadeu Ibarra - Usuário | 28/01/2010

fantasticamente triste, fantasticamente lindo...
Por midyleão de Oliveira - Usuário | 28/01/2010

O tempo da guerra A guerra do tempo, As figuras revive a dirtorção que é o viver no encanto de morrer. A iha o Farol e a luz ou todos eles separados sem vírgula. Voz mãos rosto.... A guerra e o tempo... O copo e a água ... "nada além de uma (linda) ilusão..." A loucura que é ser.. feche os olhos... "curtinas muito brancas na vidraça.. o encanto de viver" Muito lindo!!!!!!!

Páginas: 1 2