| |
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 20156 { professores: 0 | editores de blog: 1 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 8 }

Comentários
Saba

Documentário | De Gregorio Graziosi, Thereza Menezes | 2006 | 15 min | SP

10 Comentários
Por luis aser - Usuário | 17/01/2011

O cultura voraz do capitalismo e suas tecnologias não são capazes de mudar este trágico fim de vida. Parabéns pelo filme!
Por José Luiz de Campos Castejón B - Usuário | 28/01/2010

Parabéns, Gregório! Há muitos anos atrás, ainda criança, a tia Chiquinha me convidava para comer seus deliciosos pastéis de carne. Subia uma escada que me parecia não ter fim...E tinha, de quebra, o relógio de carrilhão..., para completar o clima da casa. Nossa, eu preciso visitar o tio Phorfírio... Foi realmente uma surpresa o que vi! Abraços. José Luiz
Por Lino Zero - Usuário | 28/01/2010

O filme me fez lembrar o livro Cem Anos de Solidão, de Gabriel Garcia Marques: "a velhice nada mais é do que uma pacto honrado com a solidão." Parabéns!
Por flavia tavares - Usuário | 28/01/2010

é um documentário, né? por que está registrado como ficção? bela lista de prêmios e festivais! vocês mandaram também para o "etats généraux du film documentaire" de lussas/frança?
Por Cristina Maria Conceição - Usuário | 28/01/2010

O tema do envelhecimento nos choca porque poe na cara da gente as nossas atitudes e sentimentos pelos idosos. Achei o filme muito bem feito e as imagens falam melhor do que mil palavras. Parabéns aos autores pela sensibilidade
Por Carlos Alberto Debiasi - Usuário | 28/01/2010

E proibido por um acaso alguém ter alguma referência? A questão não é ser Tarkovski, Kierostami ou Kurosawa mas sim ser algo que tenha em si, um pouco da magia imponderável que alguns filmes retêm. Continuem pensando assim ao fazerem filmes. Ou então pensem de outra forma completamente diferente, se quiserem. Mas continuem pensando, isso é o mais importante. Congratulações!
Por Neide Rejane de M.Cantarelli - Usuário | 28/01/2010

Um casal de idosos esperando pelo tempo, que parece não passar; seus movimentos são lentos; a morte está em cada canto da casa; o silêncio se instala como se fosse a última e definitiva companhia. Como esperar pela última etapa da vida sem poder se rebelar, pois o tempo virá implacável sem tempo de contestação.
Por Carol Marques - Usuário | 28/01/2010

Tarkovski no túmulo chora pelo plágio mal feito...
Por Lucila Casseb Pessoti - Usuário | 28/01/2010

Putz, meu! Vi meu passado e meu futuro. E não gostei do que vi! A realidade machuca mesmo. Que mão leve para tema tão pesado. Parabéns.
Por Renata M. Rodrigues - Usuário | 28/01/2010

Ao assisstir Saba, fiquei emocionada! Como dois jovens possuem tanta sensibilidade para tratar do envelhecimento humano? Essa obra é uma poesia! Não entendo de cinema, fotografia, direção... mas nem precisa, as verdadeiras obras primas tocam o coração das pessoas!