|
|

Pessoas conectadas nos últimos 20 minutos: 53 { professores: 0 | editores de blog: 0 | editores de sites profissionais: 0 | usuários com coleções públicas: 0 }

Pelos Traços de Poty

Assista ao filme, leia o roteiro, comente 0, publique, , de Karla Adriana Nascimento Cunico, Duração: 15 min, Plays 0

Diretor: Karla Adriana Nascimento Cunico
Duração: 15 min     Ano: 2012     Formato: Mini-DV
País: Brasil     Local de Produção: PR
Cor: Cor e P&B
Sinopse: Pelos traços de Poty Documentário biográfico sobre a vida e a obra do artista plástico Poty Lazzarotto "Pelos traços de Poty" é um documentário expositivo curta-metragem de 15 minutos da diretora Karla Nascimento, finalizado no início de 2012. Seu tema girou em torno da vida e da obra do notável Napoleon Potyguara Lazzarotto, o artista plástico Poty. Filmado inteiramente na cidade de Curitiba em tecnologia digital, levou cinco anos para ficar pronto, visto sua complexidade de pesquisa e de produção. A fotografia e a montagem são assinadas pelo premiado diretor Beto Carminatti, já a trilha sonora original foi composta por Rodrigo Janiszewiski e Fabiano O Tiziu. Através dos desenhos do Poty é possível ter uma experiência estética única, no documentário o público tem a possibilidade de (re)ver inúmeros trabalhos, entre capas de livros, vitrais e principalmente painéis em azulejo e em concreto. Trabalhos que permitiram a ele imprimir sua marca em Curitiba como nenhum outro artista. Seguir seus passos é redescobrir a Curitiba que tanto lhe encantou. No filme é possível conferir as entrevistas de João Lazzarotto (irmão do Poty), Maria Ester (pesquisadora), Regina Casillo (historiadora de arte), Adoaldo Lenzi (artista plástico), Domicio Pedroso (artista plástico), Carlos Dala Estella (artista plástico) e de Daniela Pedroso (arte-educadora). O artista nascido em Curitiba em 1924, desde criança se mostrava apaixonado por desenhos e gravuras. Em 1946, partiu para estudar no Rio de Janeiro onde trabalhou com nomes consagrados do modernismo, como Portinari e Di Cavalcanti. Depois foi estudar em Paris. Na volta ao Brasil, fixou-se em São Paulo, onde realizou uma série de painéis e murais. Ao voltar para Curitiba, dedicou-se a cobrir a cidade com suas obras. O último trabalho foi um painel em mosaico, para o Teatro Calil Haddad, de Maringá, concluído em 1997, mas somente inaugurado em 2000, dois anos depois de sua morte.
Classificação Indicativa
Livre
Sem restrições.
Ficha Técnica
Fornecedor de Informações
Kinoforum